ROMEU E JULIETA” A PARTIR DE PROKOFIEV – ROMEO AND JULIET – THE THREE SUITES

NO ÂMBITO DO 25.º ACASO FESTIVAL INTERNACIONAL DE TEATRO

Data Hora
Sex 30 Out 21:30
Público
M/18
Info
Ficha técnica
Direção Miguel Moreira
Com Francisco Camacho, Maria Fonseca e shadoWMan
Música Prokofiev com recriação ao vivo de Ricardo Toscano e João Pereira e músico a nomear (consoante os espetáculos)
Conceção plástica Jorge Rosado e Ecco Mie
Pesquisa Maria Mel
Vídeo João Pedro Fonseca
Fotografia Helena Gonçalves
Apoio Espaço das Gaivotas
Produção Útero em coprodução com Centro Cultural Vila Flor, Cine-Teatro Avenida, Citemor — Festival de Montemor-o-Velho, EIRA, ACASO Festival, Theatro Circo.
Espaço Cénico Jorge Rosado
Fotografia de Helena Gonçalves

ROMEU E JULIETA” A PARTIR DE PROKOFIEV – ROMEO AND JULIET – THE THREE SUITES

NO ÂMBITO DO 25.º ACASO FESTIVAL INTERNACIONAL DE TEATRO

Ante-ESTREIA

A partir da pauta de Prokofiev

Os bilhetes de coabitante só estão disponíveis na bilheteira

A Dança é o exemplo como a arte pode descobrir novas possibilidades imaginativas acerca do corpo e do seu movimento. Permitiu o crescimento de técnicas e lugares em palco que fizeram dos espectadores, seres com capacidade de viverem emoções raras e pensarem sobre si próprios e o mundo.
Apenas com o nosso centro no pensamento do corpo de uma mulher ou de um homem, criamos uma linguagem que desafia cânones acerca do que é viver e pensar.
Tem havido personagens capazes de desafiar os lugares que pensamos serem estanques em cada área artística. Linguagens que extravasam para outros lugares e que em muitos casos conseguiram se transformar em casos de uma universalidade, capaz de mudar o homem, seja em que parte do mundo se encontrar.
Figuras impares como Martha Graham, Pablo Picasso, William Shakespeare, desafiaram a perceção humana e os seus sentidos.
Artistas que influenciaram todas as áreas criativas, abrindo o humano para o seu lugar de incompreensão e mistério. William Shakespeare, figura “imprópria”, que hoje carrega ainda a imagem de mistério, nunca saberemos realmente quem foi ou como viveu. Tal como o artista Banksy nos dias de hoje. Fizeram-se filmes, música, ballets, livros a partir da sua obra. É uma obra que é um hino aos lugares mágicos da incompreensão. Lugares capazes de questionar o nosso
lugar como pessoas e os lugares espirituais que desencadeiam no humano, estranhos lugares ideais para a criação.

 

 

Organização: O Nariz Teatro